sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

A carta de razão




Tratando-se das coisas do coração, do amor, certa vez recebi uma carta da razão, sim, aquela que trata das coisas lógicas. Na carta estava escrito:

- Quando o assunto é o amor, muitas vezes, deixam-me de lado, e cada um segue seu próprio coração. As pessoas ficam loucas e, com frequência, perdem-se em suas paixões sem sentido.

Respondi à carta da razão assim:

Querida razão, a paixão é assim mesmo, ela é intrometida, chega sem ser convidada. Quando menos esperamos, paramos de ouvir você e resta apenas a voz ardente da paixão. Lamento, mas é assim que o coração segue o seu rumo (aliás, cá entre nós, ele é costumeiramente rebelde assim mesmo). Encontro você por aí, razão...talvez possamos nos falar entre uma paixão e outra. Até mais.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

As coisas do coração


Assim são as coisas do coração...

Quando ardente, é paixão.
Quando dolorido, é tristeza.
Quando cheio e completo, é alegria.
Quando vazio e distante, é saudade.
Quando forte e robusto, é confiança.
Quando pesado, é arrependimento.
Quando calmo, é esperança.
Quando turbulento, é ansiedade.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Santidade: um equívoco para muitos cristãos.


Os judeus praticavam a santidade repelente, ou seja, eles eram orientados pela lei mosaica a manterem-se afastados do que ela considerava impuro. Essa santidade era segregadora, discriminatória, marginalizadora e isolacionista.
Mas Jesus veio para nos exemplificar a santidade atraente, isto é, aquela que é inclusiva, abrangente, relacional, envolvente e cativante.

Que tipo de cristão você tem sido, repelente ou atraente? Como você enxerga aqueles que ainda não tiveram uma experiência com Deus?
Muitos se isolam do mundo com o preceito de que não devem se contaminar; mas Cristo lançou-se em meio aos pecadores, provou que era possível viver para influenciar pessoas positivamente. Esse é o papel do Cristão.

Nas palavras de Cristo:
Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal.
Não são do mundo, como eu do mundo não sou.
Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.
Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo.
E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade.
E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela tua palavra hão de crer em mim;
Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste
”. João 17:15-21

"A arte de viver em meio à lama sem sujar as vestes..."



sexta-feira, 2 de maio de 2014

A graça não tem preço




A cruz que outrora era carregada nos ombros, agora, tornou-se uma bancada comercial. Nela, vemos Cristo sendo comercializado junto com Suas bênçãos.

São poucos os que não se deixaram seduzir pela prosperidade evangélica. Quase solitários, os que querem anunciar o Cristo crucificado e o evangelho libertador acabam abafados pelos sons estridentes de "glórias" após uma palavra de vitória e de bênção. Vitória não sei de quem, pois, até onde sei, Cristo está realmente morto naqueles corações. Os discursos não tratam da realidade sofredora de Paulo nem do altruísmo do Mestre dos mestres. 


Até agora, não sei o que é pior: ver homens vendendo o favor de Deus ou ter o sentimento de impotência diante de tal absurdo.

Acho que o sal está perdendo o sabor...

Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele que os chamou pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho que, na realidade, não é o evangelho. O que ocorre é que algumas pessoas os estão perturbando, querendo perverter o evangelho de Cristo. (Gl 1.6,7)

segunda-feira, 28 de abril de 2014

O que é tão bom quanto sentir-se vivo?

Viver não é apenas possuir a capacidade de abrir os olhos pela manhã ou de poder respirar.
Nossa vida também não está restrita à nossa habilidade inata de ter o coração batendo, permanecendo assim até que tenhamos a morte decretada.
Viver não é possuir um emprego nem ser possuidor das mais diversas dádivas que recebemos.
A verdadeira vida está no conhecimento. Isso mesmo: A verdade liberta e nos mantém vivos!
Enquanto permanecemos distraídos por discursos ludibriadores, a verdade permanece à nossa espera.
De quem é a culpa de tanta manipulação? Não sei, mas enquanto alguns procuram culpados, corro atrás dos fatos, da leitura genuína, daquilo que realmente nos torna seres viventes: a verdade.
Viver é estar ciente da realidade que nos cerca.
Viver é poder optar entre o certo e o errado.
Viver é optar sempre pelo certo. Do contrário, será caminho de morte.
Morrer é permitir que a verdade se distorça. Morrer é permitir-se ser manipulado.
Viver é pensar, pois há liberdade no pensamento. E, onde há liberdade, há vida!

quarta-feira, 16 de abril de 2014

O amor é mais forte



Não sei porque, mas é impressionante a quantidade de postagens no Facebook que levam um versículo do Apocalipse ou de algum profeta do AT que, em algum momento, foi usado por Deus para alertar sobre o juízo que viria ao desobediente povo de Israel.

Parece que, com boa intenção, muitos cristãos querem convencer o mundo de que, sem Jesus, ele está caminhando para o inferno. É como se quisessem dizer: “não vá para o inferno. Esse é um local ruim para passar a eternidade. Lá, haverá choro, pranto e ranger de dentes”. Como se, imediatamente, seus parentes e amigos fossem correndo para os braços do Pai. A intenção é boa, mas lamento informar que a mensagem está errada.

Ao entregar-se por nós, Jesus estava mostrando que não há outra forma de convencer a humanidade de que o amor é o melhor caminho, na verdade, o único. Lembre-se: Deus é amor (1 João 4.16).

Então, antes de postar algo que fale sobre o Juízo, lembre-se de que nenhum de nós é melhor do que o outro (1 Jo 1.8-10; Rm 3.23). Lembre-se de que somos todos iguais, principalmente diante dos olhos de Deus (At 10.34). Ele justificou a humanidade pelo sangue do Seu Filho amado, mas isso não nos dá o direito de determinar quem irá para o inferno. Isso cabe somente a Ele, pois somente Ele possui a verdadeira justiça. Somente Ele é o único capacitado para julgar com retidão.

Quando lhe der vontade de postar algo sobre a Bíblia, dê preferência aos versículos que falam do amor e do perdão. Escolha, de preferência, aqueles que falam de amar o próximo como a si mesmo. Com uma ressalva: antes de postar algo assim, certifique-se de que você esteja vivendo isso realmente, de verdade, pra valer (Tg 1.22). 

O amor é mais forte do que o medo!

quarta-feira, 9 de abril de 2014

O perdão não é um sentimento.



Perdoar é um ato consciente e racional de abandonar e superar a ofensa que lhe fizeram, seguindo em frente com a sua vida. Perdoar não é esquecer o acontecimento, mas recordar dele sem sentir mágoa nem dor. 

Não espere que o perdão brote em seu coração, pois ele não é um sentimento. Esforce-se para exercê-lo. Gaste energia para alcançá-lo. Invista tempo...invista amor. Perdoe!

Perdão não é sinônimo de amnésia...

Perdão é demonstração de maturidade e superação!